segunda-feira, 22 de dezembro de 2008

Transmissão - Uma introdução

Se nos encontrarmos de pé no interior de um carro elétrico, quando este inicia a sua marcha, é possível que nos vejamos obrigados a nos segurar, para evitar cair para trás, devido à inércia. Num automóvel, no entanto, o arranque é geralmente menos enérgico.

Observemos que os veículos movidos por motor elétrico não precisam de embreagem, nem de caixa de marchas: ele põe-se em marcha quando o motor arranca e detém-se quando este pára. As subidas são vencidas mediante comandos elétricos efetuados pelo condutor para pedir ao motor mais potência, mas não é necessário o uso de diversos tipos de redução de velocidade.

Por sua vez, os veículos movidos a motores de combustão interna têm de arrancar em vazio, isto é, desacoplados da transmissão, e a aceleração do veículo é conseguida aumentando-se a velocidade do motor, à medida que se vai acoplando a transmissão por meio da embreagem. Nas subidas há necessidade, muitas vezes, de usar os diferentes tipos de redução da caixa de marchas, a fim de manter o motor a velocidades próximas da de potência máxima, pois, do contrário, não se vence a resistência que a subida oferece.

Observamos também que em baixas velocidades, em primeira marcha, por exemplo, ao pisar fundo o acelerador, conseguem-se acelerações fortes; o veículo dá um solavanco às vezes tão grande como os que se produzem nos carros elétricos. Em velocidades de cruzeiro, no entanto, as acelerações são muito menos vigorosas.

Do motor às rodas


Para que o movimento do motor chegue às rodas entra em ação o sistema de transmissão que, como o próprio nome diz, transmite o movimento de rotação do motor às rodas.

Todo motor trabalha em uma determinada faixa de rotação, que varia da rotação de marcha lenta à rotação máxima do motor. A potência e o torque não são fornecidos em taxas uniformes ao longo dessa faixa. Torna-se necessário a adaptação do torque e rotação a cada momento específico de uso do veículo, tarefa que também é desempenhada pela transmissão.


O sistema de transmissão, através do uso de diferentes relações de transmissão, permite que se mantenha o motor na maior parte do tempo possível numa faixa de rotação adequada a um fornecimento de torque. Isso garante o bom desempenho do veículo, atingindo o rendimento e consumo de combustível adequados a cada situação de uso do motor.

seja o primeiro a comentar!

Postar um comentário